sexta-feira, 20 de outubro de 2017

MPCE promove encontro de mediadores comunitários com o procurador-geral de Justiça

Mediadores do Programa dos Núcleos de Mediação Comunitária (PNMC) do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) tiveram, na manhã desta sexta-feira (20/10), um momento de integração com o procurador-geral de Justiça, Plácido Rios, e membros da Administração da Procuradoria Geral de Justiça.
No encontro, que foi encerrado com um café da manhã, a coordenadora adjunta do PNMC, promotora de Justiça Ana Cláudia Uchoa, apresentou um balanço dos avanços registrados em 2017. Além disso, foram entregues certificados a mediadores comunitários recém-formados para atuar nos Núcleos de Mediação Comunitária dos municípios de Caucaia (FATENE e Jurema), Maracanaú e Pacatuba.
Em seu pronunciamento, o procurador-geral de Justiça reconheceu a importância da mediação na resolução de conflitos e parabenizou os mediadores comunitários pelo trabalho desenvolvido. “Sabemos que este é o caminho para termos uma sociedade mais humana, mais digna, para que tenhamos, que é o objetivo maior da Mediação, mais paz, tenhamos mais justiça social. Estamos hoje muito felizes com a presença de todos e com o trabalho que vem se desenvolvendo. A palavra maior aqui é de agradecimento”, declarou Plácido Rios.

Confira os melhores momentos aqui.


Fonte: Assessoria de Imprensa   
Ministério Público do Estado do Ceará   


quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Representante da Secretaria de Educação de Mato Grosso conhece experiência do Programa dos Núcleos de Mediação Comunitária

Em visita institucional ao Ceará nesta semana, a assessora técnica da Secretaria de Educação, Esporte e Lazer do Estado do Mato Grosso, Flávia Pires, conheceu a experiência e a metodologia pioneira do Programa dos Núcleos de Mediação Comunitária do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) – referência em todo o país. Na oportunidade, também houve troca de experiências com o procurador-geral de Justiça do Ceará, Plácido Rios, e com o secretário-geral da PGJ, Haley de Carvalho Filho.
Flávia Pires é líder do Núcleo de Mediação Escolar de Mato Grosso, iniciado após assinatura de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre a Secretaria de Educação e o Ministério Público do Mato Grosso. Ela explica que a metodologia do Núcleo foi inspirada na estratégia desenvolvida pelo MPCE, com o objetivo de apoiar as unidades de ensino do Mato Grosso no desenvolvimento de práticas alternativas na resolução de conflitos entre estudantes, professores, pais e gestores escolares.
Para Flávia, a troca de experiências com o MPCE vai contribuir diretamente no funcionamento do Núcleo de Medição Escolar em Mato Grosso, que é composto por psicólogos, assistentes sociais e servidores. “Esse encontro serviu para constatar que estamos no caminho certo. Sei que falta muito chão pela frente. Porém, nossa linguagem, desafios e metodologias estão alinhados com as origens do nosso projeto”, destacou Flávia Pires.

Fonte: Assessoria de Imprensa   
Ministério Público do Estado do Ceará   

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

MPCE é referência em mediação comunitária

O Programa dos Núcleos de Mediação Comunitária (PNMC), do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), é visitado frequentemente por outros MPs brasileiros e até por visitantes internacionais que vêm conhecer o seu funcionamento e promover a troca de experiências. A professora Rosemary de Oliveira, que realizou projeto de pesquisa tendo como objeto de estudo a atuação do Programa em três bairros de Fortaleza – Pirambu, Parangaba e Bom Jardim –, considera que os benefícios são inúmeros não só para a comunidade, mas também para os próprios mediadores, que procuram se qualificar. “Eles sentem a necessidade de se capacitar para atuar cada vez melhor. A própria capacitação em conflitos resultou na alfabetização de alguns e na inserção de outros no Ensino Superior”, destaca a pesquisadora da Universidade Estadual do Ceará (UECE).
A coordenadora do Programa, promotora de Justiça Iertes Gondim, destaca a dedicação das assessoras técnicas Jucileide Cronemberger e Patrícia Palhano para o fortalecimento do Programa. “Elas começaram como mediadoras voluntárias, foram supervisoras e hoje se dedicam com muito amor e compromisso a tudo que envolve a mediação. Elas ministram aulas nos cursos e seminários sobre o tema e temos muito orgulho em tê-las como referência técnica para dar continuidade às ações”, disse Iertes.
A mediação comunitária pode ser utilizada nas mais diversas áreas de atuação do Ministério Público. Uma delas é a defesa dos direitos das pessoas idosas e com deficiência. O Provimento 013/2017 criou, no âmbito do MPCE, o Núcleo de Mediação do Idoso e da Pessoa com Deficiência. Para facilitar o seu funcionamento, a Secretaria-Executiva das Promotorias de Defesa do Idoso e da Pessoa com Deficiência, o CAOCidadania e a Coordenação do PNMC estão realizando, em parceria com a ESMP, uma capacitação de mediadores voluntários que atuarão nesta área específica.

“Quando me convidam para falar da mediação, me sinto indiscutivelmente reconhecida. Pois quando a gente se apaixona por algo e dá o seu melhor, o reconhecimento é só uma consequência. Hoje, já existe uma literatura na área que nos apoia de diversas formas, diferentemente do início, tornei-me uma estudiosa desta temática, mas não há técnica que supere a prática, a vivência de mediar, isso nos transforma de uma forma indescritível. Por isso, quero que mais pessoas experimentem a mediação, pois ela faz de mim uma pessoa melhor.”
Jucileide Cronemberger


“Na mediação, trazemos um pouco do passado dos envolvidos para entender o presente e daí construir um futuro, conhecendo e tratando o motivo que levou ao conflito. Acredito que a Mediação é o caminho mais adequado para resolver conflitos familiares, comuns nas Promotorias de Defesa do Idoso e da Pessoa com Deficiência. É gratificante ver o interesse das pessoas em um curso como este e os relatos delas dizendo que mudaram a forma de tratar e enxergar os próprios conflitos familiares.”
Patrícia Palhano


Fonte: Assessoria de Imprensa   
Ministério Público do Estado do Ceará  

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Núcleo de Mediação do Pirambu comemora 18 anos

Os mediadores voluntários do Núcleo de Mediação do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), localizado no bairro Pirambu, tiveram uma noite de celebração na última sexta-feira (29/09). Foi o aniversário de 18 anos de existência da unidade. Estiveram presentes a secretária de Justiça e Cidadania do Ceará, Socorro França, a coordenadora do Programa Núcleos de Mediação Comunitária (PNMC), promotora de Justiça Iertes Gondim, a promotora de Justiça Antônia Lima, os mediadores voluntários do Núcleo, além de amigos e parceiros.
Segundo Iertes Gondim, o MPCE é referência nacional e internacional pela sua atuação na área da mediação comunitária. O Núcleo do Pirambu foi o primeiro a ser fundado, em 1999, e, hoje, já existem 11 unidades. “Os Núcleos de Mediação funcionam com o fundamental apoio dos mediadores que atuam voluntariamente e assim abrilhantam e protagonizam essa história. Reunimos hoje, para celebrar, pessoas que fizeram e continuam fazendo a história da Mediação Comunitária no Ceará. Parabéns à população do Pirambu e, em especial, damos o nosso reconhecimento e gratidão aos parceiros e à Maria Dalva Santos, guerreira e motivadora”, disse a coordenadora do Programa no MPCE.
A voluntária Dalva Santos é supervisora do Núcleo no Pirambu desde a sua fundação e destaca que os resultados alcançados são gratificantes e que a motivam a continuar. “Hoje é um momento de muita emoção e muita alegria. Tenho satisfação em rever os amigos que fizeram parte da nossa história. Tivemos mais conquistas, do que desilusões, superamos, juntos, as dificuldades e quem ganha mais com isso é a comunidade. O nosso agradecimento maior vai aos parceiros, pois eles são fundamentais para alcançarmos sucesso. Delegacias, Juizados, Promotorias, Escolas, Conselhos Tutelares, todos contribuíram para estarmos aqui hoje celebrando”, agradeceu Dalva.
PNMC participa de eventos universitários
Como forma de difundir a mediação comunitárias, membros e servidores do Programa MPCE participaram de diversos eventos entre os dias 27 a 29 de setembro. Na quarta-feira (27/09), o promotor de Justiça Edson Landim e a assessora técnica Jucileide Cronemberger realizaram palestra com o tema “Mediação de Conflitos e Cultura de Paz, no auditório da Faculdade Maurício de Nassau, das 8h30 às 11h.
No dia 28 de setembro, às 17h, a professora Rosemary de Oliveira, apresentou o projeto de pesquisa “Memórias da Mediação Comunitária”, tendo como objeto de estudo a atuação do Programa Núcleos de Mediação em três bairros de Fortaleza: Pirambu, Parangaba e Bom Jardim; e fez um panorama histórico do Programa, do seu início aos dias atuais. Ela coordena grupos de pesquisa sobre “Conflitualidade e Violência” e “Direitos Humanos e Políticas de Segurança Pública”.
Na ocasião, o promotor de Justiça Edson Landim esteve presente e falou sobre a participação da Universidade na mediação de conflitos. O evento foi realizado pelo Laboratório de Estudos Conflitualidades e Violência, do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará (UECE). A professora Ana Karine Cavalcanti falou sobre “Jovens Mediadores e Práticas de Não Violência”.


Fonte: Assessoria de Imprensa   
Ministério Público do Estado do Ceará 

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

MPCE promove dia de lazer com mediadores comunitários

Em comemoração ao Dia Mundial da Paz, o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), por meio do Programa dos Núcleos de Mediação Comunitária (PNMC), promoveu um dia de lazer com os mediadores comunitários voluntários do Programa. Reunindo representantes da coordenação do PNMC e 118 mediadores, o evento aconteceu na última quinta-feira (21/09), no SESC Iparana.
Na acolhida, os mediadores refletiram sobre a importância de estarem reunidos. Além disso, os voluntários ouviram uma mensagem enviada por Juan Carlos Vezzulla, entusiasta da causa internacional. A programação também contou com sorteio de prêmios, caminhadas, atividades de lazer na piscina e prática esportiva.
Além do Dia Estadual do Mediador Comunitário, celebrado em 13 de setembro, o Município de Fortaleza também instituiu o Dia Municipal do Mediador, festejado em 24 de setembro. O MPCE realizou, durante esta semana, outras atividades para homenagear os mediadores voluntários. No dia 13, o MPCE realizou uma palestra motivacional com o tema “É preciso amar para mediar…”. No dia 20 de outubro, os mediadores participarão de um café da manhã com o procurador-geral de Justiça, Plácido Rios.

Confira aqui mais fotos: www.flickr.com/photos/mpceoficial.


Fonte: Assessoria de Imprensa   
Ministério Público do Estado do Ceará

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

MPCE comemora Dia Estadual do Mediador Comunitário

“É preciso amar para mediar…” foi o tema da palestra motivacional ministrada pela jornalista, escritora, terapeuta nativa e blogueira, Kareemi, que marcou o Dia Estadual do Mediador Comunitário, promovido pelo Programa Núcleos de Mediação Comunitária do Ministério Público do Estado do Ceará. Instituído pela Lei nº 14620/2010, o Dia Estadual do Mediador Comunitário é comemorado em 13 de setembro com homenagens aos valorosos voluntários que se dedicam à promoção da paz social e ao pleno exercício da cidadania. O início das comemorações foi realizado, na manhã desta quarta-feira, no auditório da Procuradoria Geral de Justiça (PGJ).
Além da palestrante, participaram da mesa diretora dos trabalhos a vice-governadora do Estado do Ceará, Izolda Cela; a vice-procuradora geral de Justiça, Vanja Fontenele; a promotora de Justiça Iertes Gondim; o secretário-chefe de Gabinete da Prefeitura Municipal de Fortaleza, Francisco Queiroz; a vice-ouvidora do MPCE, Maria Magnólia Barbosa; a representante da Associação Cearense do Ministério Público, Liduína Martins; a presidente da Comissão Especial de Mediação, Conciliação e Arbitragem da Ordem dos Advogados do Brasil, Maria Darlene Monteiro; o presidente do Sindicato de Transportes de Passageiros (Sindiônibus) Dimas Barreira; e a mediadora do Núcleo de Mediação da Parangaba, dona Pedrina de Araújo.
A promotora de Justiça Iertes Gondim agradeceu a todos os parceiros, mediadores e a todos os integrantes da rede que forma o sistema de garantia de direitos que contribuem para o funcionamento do Núcleos de Mediação. Ela registrou seu reconhecimento ao pioneirismo da implantação do trabalho pela ex-procuradora geral de Justiça Socorro França e pelo promotor de Justiça Edson Landim. “O trabalho de mãos dadas é que nos impulsiona a seguir em frente, com mediadores de 18 a 83 anos. Temos que ter fé, porque o nosso Deus é o do impossível”, disse, ao acrescentar a importância do projeto de mediação escolar encampado pelos promotores de Justiça Hugo Lucena (da Infância e Juventude) e Elizabeth Oliveira (de Defesa da Educação).
A vice-procuradora geral de Justiça, Vanja Fontenele, destacou que o trabalho de mediação era caro não só para o Ministério Público, mas para toda situação mundial, em que se constata toda forma de conflito. Ela recordou a inauguração da primeira Casa de Mediação no bairro Pirambu. “Tenho muito orgulho de ter participado daquele momento histórico. Éramos 18 mediadores e a metade desistiu, porque não é fácil. Só ficaram os que se identificaram. Hoje, somos 135 mediadores. Isso significa que a luta valeu a pena. Que a mediação reproduza a mensagem de amor e de paz que tanto precisamos”, comemorou.
A vice-governadora, Izolda Cela, mostrou-se honrada em participar daquele momento tão relevante para o MPCE. Para ela, a expectativa é a de que o programa de mediação seja expandido cada vez mais, uma vez que havia tantas pessoas compromissadas com a causa. “Vocês estão prestando um serviço relevante à pátria e à cidadania. Os mediadores já fazem uma prestação de contas à sociedade pelo seu trabalho. Não tenho dúvida de que estamos fazendo uma melhoria ao tecido social”, disse. Ela declarou que não temos como enfrentar a violência se não melhorarmos a promoção do diálogo respeitoso, o qual faz parte da mediação de conflitos.
Por meio da sua história e do seu corpo, a palestrante Kareemi provou que grandes tragédias podem se transformar nas maiores oportunidades para a realização pessoal e profissional. A jornalista, que atuava como executiva de mídia em grandes redes de comunicação do país, teve sua vida transformada no Réveillon de 2012, quando sofreu um grave acidente que a deixou entre a vida e a morte e ocasionou a amputação de seu braço direito.
Buscando a interatividade com a plateia, Kareemi enfatizou que sua conversa era sobre vida, que é feita de fatos encadeados e de conflitos nas relações interpessoais. Mas, o entendimento e o diálogo para a boa convivência estão embasados na paciência, como ciência da paz, para ouvir os lados conflituosos. Para ela, o segundo passo, também de igual importância, está na capacidade de cada um sentir empatia, que significa colocar-se no lugar do outro. “Portanto, a mediação voluntária é um trabalho de grande valor, nobreza e disposição, tendo que ter muito amor, paciência e empatia para desempenhá-lo”, considerou.
Porém, Kareemi demonstrou preocupação com a possibilidade de o prazer de ser reconhecido como uma referência para a comunidade se transforme num prazer maior do que o serviço prestado, deixando de ser um trabalho voluntário para se tornar um trabalho por interesse pessoal. Além disso, ela pediu que as pessoas não usassem mais a expressão “ter um problema”, preferindo mencionar que ocorreu um fato. “Quando conotamos um fato como problema, isso se torna um fardo, tencionando-o como uma dificuldade. Quero que instituam que a palavra problema etá excluída do dicionário da vida de vocês”, disse.
Para ela, viver é resolver fatos e a arte de se lidar com as adversidades. Kareemi afirmou que o pensamento positivo dá comando às atividades funcionais de nossas células, uma vez que as doenças teriam origens emocionais. “A limitação das nossas capacidades está na mente. O nosso padrão mental pode ser mudado a favor de uma vida fluida, capaz, hormônica e em paz, concretizando as boas intenções”, entende.
Através da sua vivência ela argumenta a possibilidade de ressignificar fatos difíceis da vida e desenvolver resiliência e aceitação, contagiando os espectadores ao transmitir suas experiências e fazendo com que as pessoas consigam transportar para as respectivas vidas a maneira leve que Kareemi tem de ver e viver fatos tão inusitados desde a infância.
O Programa Núcleos de Mediação Comunitária do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), a partir da Coordenação do Programa Núcleos de Mediação Comunitária, pelos promotores de Justiça Iertes Meyre Gondim Pinheiro, Saulo Moreira Neto e Ana Claudia Uchoa de Albuquerque Carneiro, tem por finalidades a transformação e o empoderamento do cidadão para, através da mediação, dos seus princípios e metodologia, protagonizarem na missão da promoção da paz a partir do diálogo de maneira responsável e cooperativa na busca das melhores soluções que satisfaçam a todos e, dessa forma, emanciparem-se do Estado, gerando autonomia e empoderamento nas suas ações na resolução de seus conflitos.



Fonte: Assessoria de Imprensa
Ministério Público do Estado do Ceará

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Dia Nacional do Voluntário


A Coordenação do Programa dos Núcleos de Mediação Comunitária do Ministério Público do Ceará parabeniza e agradece aos  Mediadores Comunitários, que atuam de forma VOLUNTÁRIA como verdadeiros agentes de transformação social.